Plano de Aula | Multimídia | Glossário

Olá Visitante 

Arte

A beleza das formas voluptuosas

18/06/12

Beleza_africana

Bruna Tiso

Exposição na Costa do Marfim mostra que o belo também está em mulheres que fogem aos padrões estabelecidos pelo mundo moderno

Um dos mais importantes artistas contemporâneos de seu país, Augustin Kassi buscou representar a “verdadeira mulher africana”. Em matéria da BBC (veja aqui), o artista diz: "Eu queria lutar por essas mulheres que foram criticadas e até feitas prisioneiras da ideia de que não eram bonitas."

Abaixo, você vê como o conceito de beleza na arte mudou ao longo do tempo e acompanha um infográfico com alguns importantes pontos da arte africana desenvolvida em três períodos históricos.

Os diferentes olhares da beleza na Arte

Por Pedro Bayeux, especialista em Artes
Edição: Milena Oliveira

Na Grécia Antiga, aproximadamente no século VIII a.C, Homero e Hesíodo criaram um padrão de beleza troiana que desde então vem sendo adotado e seguido principalmente pelos povos ocidentais. Esse padrão foi formado visando a beleza acima de tudo, esculpida em corpos musculosos moldados pela ginástica executada em jogos de guerra ou em outras atividades físicas. Depois, no século IV a.C, Platão questionou: o que é realmente belo? Para o filósofo, a beleza existe separadamente da padronização estética mundial, de modo que alguma coisa ou alguém é mais ou menos belo conforme a ocasião em que está presente.

Para a professora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, Maria Helena Pires Martins, no caso da Arte a beleza é estética e quem decide o quanto ela é bela é o público que a consome. Assim, a obra deve ser muito mais que aparência; ela tem de cativar, comover e nos proporcionar experiências diversas em relação ao mundo, à vida e à natureza.

Conheça os principais representantes do Renascimento
Apesar de a beleza ter um valor subjetivo, que pode mudar de um indivíduo para o outro, o Renascimento criou um padrão de estudo da forma que ficou como herança para as escolas posteriores. Assim, a partir do século XVII as academias de arte europeias, principalmente a francesa, padronizaram a forma como a estética renascentista deveria ser transmitida. Na obra O nascimento de Vênus (1879), do pintor francês William Bouguereau (1825-1905), é possível notar toda a estética clássica na representação da deusa romana do amor e da beleza, com formas angelicais e tons pastéis. A tela foi baseada na obra-prima homônima de Sandro Botticelli.

Com a evolução da Arte e o aumento da flexibilidade na aceitação da subjetividade do belo, os artistas passaram a ter mais liberdade criativa, podendo se aventurar em trabalhos mais expressivos e carregados de sentimento. É o caso da obra do artista inglês John Everett Millais (1829-1896), em Cristo na casa de seus pais (1849-1850), também chamada A oficina do carpinteiro. Ela detalha em traços realistas José, Maria, Santa Ana e João Batista, além de um suposto aprendiz de carpinteiro junto de Jesus, em uma cena que seria corriqueira não fosse o fato de representar o prenúncio do martírio de Cristo, ao retratar o menino Jesus com sangue nas mãos e nos pés, após se cortar com um graveto.

Veja obras de Fernando Botero
Outra referência da libertação da Arte sobre o que é belo está nas obras de Lucian Freud (1922-2011). Em Moça com um cão branco (1950-1951), Freud apresenta características surreais que flertam com o Simbolismo, em uma obra que mostra toda a tensão, solidão e complexidade que ele acreditava fazer parte da condição humana. Já o pintor colombiano Fernando Botero ironiza a valorização da magreza como padrão estético corporal na cultura ocidental. Suas obras mostram figuras volumosas, que nem por isso deixam de ser sensuais e atraentes.

Gisele Toledo e Renata Oliveira



Tema: A evolução da beleza na Arte

Disciplina(s): Arte

Matriz de Referência de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Resumo: Ao longo do tempo, o corpo sempre serviu de modelo e suporte para as mais diferentes representações da arte. Com as ideias humanistas greco-romanas, pintores, escultores e artistas fizeram do corpo a plataforma para alcançar um padrão de beleza que não é homogêneo nas culturas.


Conheça a equipe do Jornalismo Educativo


Tags da matéria
áfrica, africana, Arte, belo, corpo, feio, mulher

Matérias Relacionadas

Compartilhe:
  Gostaria de acompanhar esta e outras notícias relacionadas!

Comente






restam 500 toques



 
Tags
  Corrupção no DF Pré-sal santos dumont independência do brasil lula amazônia militar francês espaço aéreo soberania nacional caça rafale efeito estufa gases poluentes quioto Aquecimento Global clima mudanças climáticas COP-15 distrito federal arruda  
Notícias relacionadas
Mostra 'Dores da Colômbia' de Fernando Botero estreia em Salvador
Fotos de modelos dão vida à arte africana



Proposta | Expediente | Fale conosco | Cadastre-se